Metrô de BH tem greve geral nesta quarta e quinta mesmo com multa dobrada

Mesmo com a justiça ordenando operação mínima, sindicato dos metroviários de BH promete paralisação total .

Por Samara Tibúrcio

Após o Sindicato dos Metroviários (Sindimetro-MG) anunciarem no início da semana mais uma paralisação do setor as estações do metrô em Belo Horizonte amanheceram nesta quarta-feira (05) fechadas e com cartazes indicando greve. Segundo o sindicato, haverá paralisação total de 48 horas e a promessa é de volta na sexta-feira (07).

O Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região (TRT-MG) determinou a pedido da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), aumento da multa para o sindicato em caso de descumprimento da determinação de escala mínima de 60%. A pena diária dobrou, subindo de R$ 35 mil para R$ 70 mil. Apesar disso, o sindicato manteve a paralisação total do setor.

Os metroviários estão insatisfeitos com a condução do processo de privatização do metrô de BH aprovado pelo TCU (Tribunal de Contas da União) em agosto deste ano. Segundo o Sindicato dos Metroviários, a privatização terá como consequências a demissão de quase 1,6 mil funcionários da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) que atuam em Minas Gerais, além do aumento da passagem. 

Uma nova assembleia entre o Sindimetro e os metroviários está marcada para esta quinta-feira (6), nesta reunião será decidido os rumos do movimento. A Prefeitura de Belo Horizonte informou que por conta da paralisação haverá reforço nas linhas de ônibus. 

“A BHTrans realiza o acompanhamento, inclusive pelo COP-BH, e as viagens extras são disponibilizadas de acordo com a demanda. Para garantir o atendimento dos usuários, foi enviado ofício às concessionárias alertando sobre a situação e a necessidade de complemento nas linhas”, declarou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + dois =