Entenda como será a prova de vida dos aposentados do INSS

Processo deixa de ser presencial e comprovação passa a ser através de cruzamento de dados do INSS.

Por Samara Tibúrcio

A prova de vida exigida todos os anos para os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) sofreu algumas mudanças, e de acordo com a nova portaria publicada pelo Governo Federal a prova de vida deixou de ser presencial e passa a ser através de cruzamento de dados do governo.

Com a mudança a obrigatoriedade de provar que está vivo agora é função do INSS e não mais dos aposentados e pensionistas. A partir de agora, o instituto usará bases de dados públicos e atos para poder realizar o procedimento. 

Antes a prova de vida do INSS era feita de forma presencial, com o aposentado ou pensionista indo até uma agência do banco em que recebe o benefício, ou era possível escolher um representante legal para fazer o processo. 

Outra forma de realizar a comprovação era por meio do aplicativo “Meu INSS”, por biometria facial. Idosos a partir de 80 anos ou pessoas com dificuldade de locomoção podiam solicitar a ida de um servidor até a casa do beneficiado, também por meio do aplicativo do INSS ou pelo telefone 135. 

Com a nova portaria a ida até uma agência será somente em último caso. O INSS terá acesso a uma série de dados federais, estaduais, municipais e privados. O instituto cruzará essas informações para fazer a prova usando dados como comprovante de votação, renovação de carteira de identidade, de motorista ou passaporte, registros de transferências de bens, de consultas pelo SUS ou de vacinação.

Vale lembrar que o mês para a realização da prova continua sendo o de aniversário do aposentado ou pensionista, e que é possível realizar a prova um mês antes ou no máximo até um mês depois para evitar bloqueio do pagamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezesseis + seis =